contato@fonocare.com| (65) 3621-4440

A linguagem é o principal componente da comunicação humana e se externaliza pelo falar, escutar, ler e escrever. Sabe-se que o processo de aquisição e desenvolvimento da linguagem e da fala depende de condições neurobiológicas e ambientais apropriadas, e seu aparecimento que está entre um e dois anos de idade, pode ser considerado um dos principais marcos do desenvolvimento infantil.

  • O que é a linguagem?

    A linguagem, como um processo tipicamente humano, que se constitui como uma forma de expressão que permite as relações entre as pessoas. Apresenta como significados os conceitos, idéias, sentimentos ou experiências, e estes são expressos por meio de símbolos convencionais (as palavras).
  • O que é a fala?

    A fala é singular e universal, além de ser considerada a mais nobre das capacidades humanas e é uma manifestação da linguagem.
  • Orientações de linguagem

    Faça o download de orientações sobre como realizar a estimulação de linguagem e fala em seu filho. Clique aqui.
  • Atraso de Linguagem em crianças pequenas

    O atraso de linguagem diz respeito ao atraso no aparecimento da linguagem, ou mesmo na sua evolução mais lenta, podendo atingir o aspecto de compreensão e expressão verbal. Este pode ter um significante impacto na vida social e escolar, e sua identificação precoce, com intervenção apropriada, podem atenuar os déficits emocional, social e cognitivo.

    Entre 18 a 24 meses de idade maioria das crianças entra em uma fase de intenso aprendizado, sendo capaz de aprender novas palavras em uma velocidade muito mais rápida, e passa a duplicar ou até triplicar o vocabulário em poucos meses. Por isso, embora haja variações individuais, se uma criança tem 2 anos e ainda não fala (ou fala muito pouco), é importante procurar a orientação de um Fonoaudiólogo especialista em Linguagem.

  • Como estimular uma criança com atraso de linguagem?

    A criança aprende com muita estimulação, ouvindo, repetindo, imitando, brincando! Desta forma utilize muitos gestos, olhares, sorriso, atitudes, fala, música, tudo é válido para “conversar”.

    DICAS:

    • Propicie mais momentos de diálogo com a criança, converse, conte histórias;
    • Utilize a rotina para estimular a criança como a hora do banho, alimentação;
    • Não cobre as respostas do seu filho e sim ajude-o a responder;
    • Participe de brincadeiras com a criança estimulando-a a reproduzir as palavras (repita muitas vezes as palavras – naturalmente);
    • Estimule a curiosidade pelo desconhecido, utilizando objetos, animais, lugares, incentivando a descoberta de coisas novas que lhe despertem interesse;
    • Procure ouvir a criança, demonstrar atenção e interesse;
    • Elogiar suas ideias e realizações e colocar seus desenhos na parede.
  • Trocas na fala

    O surgimento da linguagem expressiva ocorre durante os primeiros anos de vida da criança, período em que os fonemas são adquiridos e estabelecidos quanto às posições nas sílabas e nas palavras e de acordo com uma cronologia que é ao que parece similar para a maioria das crianças. Porém, nesta fase de aquisição, não é raro o aparecimento das “trocas na fala”, o chamado Transtorno Fonológico.

    Ao redor dos três anos, a criança ainda pode trocar vários sons na fala, mas os pais e as pessoas que convivem com ela aprendem a “traduzir” sua fala, pois os erros que a criança comete costumam ser sempre os mesmos (p.ex., a criança sempre troca o “X” pelo “S”). Aos quatro anos, com o desenvolvimento do sistema auditivo e motor, a criança já consegue pronunciar a grande maioria dos sons da língua. Por isso, ainda que possa haver alguns tipos de erros, não é mais esperado que as pessoas tenham dificuldade para entender a fala da criança. Caso isso ocorra, é necessária a avaliação Fonoaudiológica.

  • Como ocorre a aquisição dos sons da fala?

    Uma criança finaliza a aquisição dos sons (para o Português-Brasileiro) por volta dos 5 a 6 anos de idade. Existem sons mais simples, de mais fácil aquisição e outros mais complexos e por isso, são aprendidos mais tardiamente.

    Sons adquiridos:
    – 2 anos: M; P; T e D (criança fala aproximadamente 200 palavras)
    – 2 anos e 6 meses: K, G, N, F, V, S, e NH
    – A partir de 3 anos: Z; R forte (“BaRRaca”); R fraco” (“aRaRa”); L (“Lá, Limão”); “lha” (“paLHA”)
    – 4 anos e 6 meses: “cha” (“Chave”) “ja” (“Janela”)
    – Entre 5 e 6anos: Encontros consonantais (“PRato”; “FLôr”; “CLasse”; “CRavo”, etc) e consoantes “intercaladas” (por exemplo, poRco; paSta; eScola; amoR).

  • Autismo infantil

    O autismo e os transtornos invasivos do desenvolvimento (TIDs), às vezes denominados transtornos do espectro do autismo, referem-se a uma família de distúrbios da socialização com início precoce e curso crônico, que possuem um impacto variável em áreas múltiplas e nucleares do desenvolvimento, desde o estabelecimento da subjetividade e das relações pessoais, passando pela linguagem e comunicação, até o aprendizado e as capacidades adaptativas.

    Sinais de alerta: Se uma criança prefere ficar isolada, não brinca e não tem interesse por brinquedos apropriados para sua faixa etária, esses comportamentos podem indicar uma dificuldade de desenvolvimento que necessita ser investigada por um profissional especializado.

    Faça o download do Protocolo de Diagnóstico, Tratamento e Encaminhamento de Pacientes com Transtorno do Espectro Autista-TEA. Clique aqui.

    Assista o vídeo abaixo com maiores informações:

  • Referências Bibliográficas

    • Bishop D; Mogford K. Desenvolvimento da Linguagem em circunstâncias excepcionais. Rio de Janeiro: Revinter, 2002.
    • Fernandes FDM, et al. Tratado de Fonoaudiologia, São Paulo: Roca, 2010.
    • Limongi SCO. Fonoaudiologia Informação para a Formação: Linguagem. Rio de Janeiro, Editora Guanabara: 2003.
    • Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia- (http://www.sbfa.org.br/portal/pdf/faq_linguagem.pdf)